​Champions League: City volta a vencer, elimina PSG de Neymar e vai à final inédita

​Champions League: City volta a vencer, elimina PSG de Neymar e vai à final inédita

A vitória por 2x0, depois dois 2x1 em Paris, levou o time de Pep Guardiola a decisão em Istambul
|

O Manchester City voltou a vencer o Paris Saint Germain nesta terça-feira, 4, e vai disputar pela primeira vez a final da Champions League. Depois de ter vencido em Paris por 2x1 o City venceu no Etihad Stadium por 2x0 com dois gols de Mahrez. Agora espera o rival da final que vem de Chelsea ou Real Madrid, que ficaram em 1x1 na partida de ida e jogam amanhã.


E0kpiCmXsAEy1RyFoto: Divulgação/Manchester City


Antes desta temporada a melhor campanha na Liga dos Campeões do Manchester City tinha sido quando o time chegou à semifinal em 2016, naquela edição perdeu para o Real Madrid e a chance de ir à final. Desta vez eliminou o PSG, que em 2020 foi a final pela primeira vez quando perdeu para o Bayern de Munique. Neymar e Cia ainda seguem em busca do título inédito para o PSG e o City tem a chance de ser campeão pela primeira vez nesta temporada. Na atual edição o Manchester City venceu todos os jogos no mata-mata, marcou 25 gols e só sofreu 4. Em 12 jogos está invicto com 11 vitórias e um empate. Pep Guardiola, que já venceu duas vezes pelo Barcelona a Champions, chega a final com o City na 5ª temporada dele pelo clube.


O jogo não começou exatamente como o imaginando quando se sabe que Pep Guardiola é o treinador do Manchester City e o time dele passa a maior parte dos primeiros minutos e da primeira etapa com menos posse de bola que o adversário. Pep, que na carreira tem como características times que ficam bastante tempo com a bola e trocam muitos passes, escolheu recuar a sua equipe e a deixar menos campo para o PSG usar a velocidade nas costas da defesa.


O resultado foi o time de Paris ficando com a bola, em alguns momentos com 64% de posse, no final da primeira etapa 56% do tempo, finalizando 7 vezes no gol do City, mas nenhuma no alvo. Sem Mbappé, com problemas musculares, Icardi começou jogando e Pochettino mudou o esquema com Di Maria mais perto de Neymar, mudando o 4-4-2 com pontas mais abertos para um 4-3-1-2.


Sob muita neve o jogo começou animado. Com 6 minutos o árbitro marcou um pênalti após cruzamento e a bola bater no ombro esquerdo de Zinchenko. Depois de muita reclamação o árbitro reviu o lance e acabou anulando o pênalti. Aos 10 minutos saiu o gol do City. Bola longa de Ederson nas costas da defesa e Zinchenko cruzou na área para De Bruyne finalizar travado e Mahrez pegar o rebote e fazer 1x0.


A melhor chance do PSG foi em um cabeceio de Marquinhos no travessão e depois com Di Maria roubando uma bola no ataque e tentando chutar em gol quando Éderson estava fora da meta. O chute do argentino acabou saindo torto para fora. Nos minutos finais o City passou a trocar mais passes no ataque e ameaçar mais o gol de Navas. Finalizou 6 vezes na primeira etapa.


E0kfqGNXsAEWxzQFoto: Divulgação/Uefa


Na segunda etapa a neve diminuiu e o jogo seguiu em ritmo parecido nos primeiro minutos. O PSG precisando de gols e com menos tempo, passou a correr mais riscos. Sobrou espaço para Foden, que chegou duas vezes com perigo aos 8 minutos. Com 9 minutos, Neymar fez a melhor jogada dele no jogo e invadiu a área com a bola nos pés. Porém foi travado por Zinchenko e Stones, que vibraram como um gol.


Quando Pochettino decidiu mexer na equipe, colocou Kean e Draxler, e tomou o segundo gol no lance seguinte. Aos 17 minutos, o contra-ataque do City encaixou e o time fez o gol que matou de vez com as esperanças do time de Paris. Bola retomada pelo City, Foden acionado pela esquerda e a jogada termina com Mahrez aparecendo na direita, livre para finalizar em gol e deixar o City muito perto da final inédita.


No restante do jogo, o PSG já quase não ameaçou o gol de Éderson, viu os jogadores do time perderem a cabeça em alguns momentos e Di Maria foi expulso após empurrar e pisar no pé de Fernandinho. Na segunda metade da etapa final teve um bola na trave de Foden e Pep colocou Agüero, Jesus e Sterling para dar descanso aos jogadores de frente. Um dos últimos lances do jogo, foi Fernandinho fazendo falta em Neymar e o camisa 10 do PSG cobrando por cima do gol.


E0ku2 XX0AMK ARFoto: Divulgação/Uefa


Pep Guardiola para este jogo, mudou um pouco a forma da equipe jogar, além de ficar menos com a bola deixou no banco Cancelo, um dos melhores jogadores da temporada como lateral com bom passe, e optou por Walker e Zinchenko, jogadores mais velozes em campo. E deu certo, o primeiro gol surgiu com Zinchenko atacando pela esquerda e recebendo a bola de Éderson. O City atraiu o PSG para o seu campo e usou a velocidade do ucraniano para atacar.


Outra escolha de Pep foi Fernandinho, que jogou no lugar de Rodri e foi capitão da partida. Um dos jogadores mais antigos e respeitados do elenco, foi peça importante para manter o time tranquilo na partida e chegou a dar dura em Zinchenko após o jogador levar um cartão amarelo. Com a bola nos pés também foi importante ajudando a fechar a entrada da área. Mahrez acabou sendo o nome da semifinal, marcando três gols na semifinal e levando o time à decisão. Apesar de todos esses destaques, Ruben Dias foi escolhido o craque do jogo.


Do lado do PSG a ausência de Mbappé foi sentida e dentro de campo faltou também criatividade ao time de Paris que apesar de ter mais posse de bola não obrigou Éderson a fazer nenhuma defesa. Dos 14 chutes, nenhum deles foi no alvo. O sonho de Neymar em vencer a Champions pelo PSG continua. Em nove jogos disputados nesta temporada, foram seis gols marcados e três assistências do camisa 10. Que passou em branco na fase mata-mata desta edição e na última partida dele, até tentou, mas bem marcado, não conseguiu ser decisivo.