Rodolpho Riskalla domina Freestyle Paraequestre na Alemanha

Rodolpho Riskalla domina Freestyle Paraequestre na Alemanha

O atleta representa o Brasil na modalidade desde 2016 e tem chances de medalha em Tóquio
|

392363 970483 rodolpho2405 hubertfischer

Rodolpho Riskalla foi campeão na Alemanha. Foto: CBH


A poucos meses do Jogos Paralímpicos de Tóquio, Rodolpho Riskalla se torna campeão no Campeonato Internacional de Adestramento Paraequestre (CPEDI3). O torneio ocorreu no Feriado de Pentecostes, em Munique, Alemanha, entre os dias 21 e 24 de maio, e o cavaleiro brasileiro, já habilitado para competir nos palcos japoneses, dominou o pódio do Freestyle Paraequestre.


Os resultados do atleta não são nenhuma surpresa, depois do tricampeonato no CPEDI3 em Mannheim, na Alemanha, neste mês, e também do tri em Doha, no Catar, em fevereiro de 2021. Em comunicado da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), Riskalla comentou sobre o clima da prova.


"Estava um super vento, meu cavalo Don Frederic ficou meio histérico com a ventania. Então foi meio difícil. Nos dois primeiros dias tinha o mastro onde hasteia a bandeira e o vento batia e assobiava. Aí depois ele foi acalmando, mas no segundo dia também estava meio tenso. Tive alguns erros e acabei perdendo ali", contou Riskalla.


392363 970482 rodolpho2405 hubertfischer01

Atleta com a mãe e irmã. Foto: CBH


A relação do atleta com os cavalos vem da infância, quando praticava adestramento. Mas ele só foi iniciar a carreira no paraequestre em 2016, seis meses após a perda dos movimentos na parte inferior das duas pernas, da mão direita e dedo da mão esquerda em decorrência de uma meningite.


Não levou muito tempo para Riskalla se destacar e no mesmo ano defendeu o país nos Jogos Paralímpicos da cidade carioca. Em 2018, foi o melhor brasileiro nos Jogos Equestres Mundiais 2018, nos EUA, com duas medalhas de prata no adestramento paraquestre. Atualmente, ele se prepara para mais uma disputa.


"Agora vou levar minhas duas montarias, o Don Henrico e o Don Frederic, para o Internacional de Hartpury na Inglaterra, entre 7 e 11/7, onde estarão todos os juízes que vão julgar a Paralimpíada de Tóquio, com exceção de uma juíza australiana que não estará presente por impedimento de viagem", adiantou o atleta, atual nº 2 do ranking mundial Grau IV.


*Com informações da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH)