Júlia Soares, ginasta de 15 anos, faz movimento inédito e pode batizar elemento na trave

Júlia Soares, ginasta de 15 anos, faz movimento inédito e pode batizar elemento na trave

A primeira competição, na categoria adulta, foi o Pan-Americano, realizado neste fim de semana, no Rio de Janeiro
|

Júlia Soares teve um final de semana marcante para sua carreira. Participou da sua primeira competição na categoria adulta no Campeonato Pan-Americano de ginástica artística, ganhou uma medalha de bronze, realizou uma entrada inédita na trave e pode ter o movimento homologado pela Federação Internacional de Ginástica (FIG). A ginasta pode batizar o novo elemento e colocar seu sobrenome no código de pontuação da modalidade.


O movimento inédito é um "candle mount" com meia volta (entrada em vela com meia pirueta). Apresentado pela primeira vez no Pan, o elemento recebeu valor "D" de dificuldade provisória. A FIG ainda vai homologar o movimento e batizá-lo com o nome Soares.


- Fico muito feliz de ter homologado um elemento, mesmo muito nova. Não tenho palavras pra explicar a felicidade de ter um elemento com meu nome. Muitas meninas tentam, mas poucas conseguem isso. Comecei a fazer entrada reta há uns dois anos. A minha treinadora falou para eu dar uma mudada. Comecei a treinar esse elemento este ano - contou Júlia.


Brazil wag pan rio 2021 jun1 98

Júlia Soares realiza movimento inédito na trave — Foto: Ricardo Bufolin/CBG


A novata vai se juntar a um grupo seleto de brasileiros que já colocaram seu nome no código de pontuação da modalidade com movimentos inéditos. Até hoje, homologaram elementos Daiane dos Santos (solo), Diego Hypolito (solo), Arthur Zanetti (argolas) e Sérgio Sasaki (paralelas).