Ricciardo espera que corridas em sequência acelerem seu progresso com a McLaren

Ricciardo espera que corridas em sequência acelerem seu progresso com a McLaren

​Piloto da McLaren soma apenas 26 pontos nas seis primeiras corridas da temporada
|

Daniel Ricciardo vive momentos de altos e baixos com a McLaren. Desde que deixou a Renault, após o término da última temporada, o australiano vem apresentando muitas dificuldades para se adaptar ao MCL35M.


Ricciardo Baku

Reprodução/Instagram Daniel Ricciardo


Em décimo lugar com 26 pontos, o experiente piloto de 31 anos espera que as próximas corridas (França, e duas em sequência na Áustria, em três finais de semanas consecutivos) sirvam para que ele possa finalmente se adaptar à nova equipe, e entregar os pontos tão importantes para a disputa do terceiro lugar entre os construtores, com a Ferrari.


"Acho que em uma corrida como está, tudo pode acontecer. Podemos estar no pódio, nos cinco primeiros, ou podemos estar na parede na primeira volta. Então, vamos conseguir, e [estou] ansioso por um final de semana triplo, na verdade. Entrar no ritmo, entrar em três corridas seguidas. Um pouco mais convencional, um pouco mais de espaço para o desempate, não nos fará mal”, afirmou Daniel.


"Quando você está tentando aprender qualquer esporte, a melhor maneira de aprender é praticando e praticando e essa é a única coisa do nosso esporte, não podemos fazer isso todos os dias, não podemos simplesmente sair amanhã e ir e correr algumas voltas, então acho que ter três fins de semana consecutivos e treinar consecutivamente vai acelerar meu progresso”, acrescentou.


Após um começo de fim de semana ruim com a equipe de Woking em Baku, Ricciardo conseguiu fazer uma boa corrida de recuperação, terminando na nona colocação, ele foi questionado se os dois pontos o contentariam após o término da corrida.


Daniel ricciardo mclaren

Reprodução/Instagram McLaren


"Eu posso. Apenas dando voltas e completando a corrida - isso parece tão básico - mas apenas para continuar aprendendo com o carro. Acho que há momentos na corrida que tirei um pouco mais disso, mas acho que isso é importante e, sim, alguns pontos”, destacou.


“Temos o simulador e essas coisas ajudam, mas no simulador as paredes não machucam. Portanto, nunca é exatamente a mesma coisa”, concluiu.