​Olimpíadas: Brasil perde nos pênaltis para o Canadá e dá fim ao sonho olímpico

​Olimpíadas: Brasil perde nos pênaltis para o Canadá e dá fim ao sonho olímpico

Nas quartas de final o time brasileiro ficou no 0x0 após 120 minutos e foi eliminado por 4x3 nas penalidades
|

2021 07 30t105440z 1523106270 sp1eh7u0ub0q1 rtrmadp 3 olympics 2020 fbl w team11 qfnl 000400

Foto: REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

A seleção brasileira feminina de futebol perdeu para o Canadá nos pênaltis por 4x3 e foi eliminada das Olimpíadas de Tóquio. Em duelo nas quartas de final, em Miyagi , o jogo ficou 0x0 e nas penalidades Andressa Alves e Rafaelle perderam os pênaltis brasileiros. Classificado, o Canadá agora enfrenta ou Holanda ou EUA na fase de semifinal.

Em todas as vezes que houve futebol feminino nas olimpíadas a seleção brasileira esteve presente. E desde a primeira em Atlanta-1996, o Brasil chegou à semifinal pela em cinco vezes em sete disputas. Esta é a segunda vez que o Brasil não consegue e a primeira grande competição da seleção no comando da técnica sueca Pia Sundhage. A treinadora na quarta Olimpíada dela tem o pior resultado, com dois ouros e uma prata anteriormente. Nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016 o Brasil ficou com o 4º lugar quando perdeu justamente para o Canadá na disputa do terceiro lugar e antes havia perdido para a Suécia na semifinal.


"Tem dias em que as coisas não funcionam. É coisa do futebol. Nem sempre o melhor ganha. Agora é pensar no futuro, continuar apoiando nossas meninas. O futebol feminino não acaba aqui, ele continua. Não apontem dedo a ninguém. Não há culpados. Estou muito orgulhosa" - afirmou Marta após o jogo


Aos 35 anos Marta chegou a 13 gols na competição, com os três marcados no Japão e ficou a um gol de empatar com Cristiane, com 14 gols, na história dos jogos Olímpicos. O resultado marca a despedida de Olimpíadas da geração de Formiga e Marta, medalhistas de prata em Atenas-2004 e Pequim-2008.


E7iNzTpXsAISr3OFoto: Sam Robles / CBF


Em campo, Pia repetiu o time dos dois primeiros jogos da competição. E teve muita dificuldade no primeiro tempo. O Brasil teve duas boas chances nos primeiros 45 minutos, em chute de Tamires, aos 14, e aos 40, com Debinha chutando em cima da goleira Labbé. O Canadá até atacou mais e foi melhor em alguns momentos da primeira etapa, mas não criou tantas chances de gol. Com menos posse de bola, fechava muito bem o espaço no meio da defesa.


No segundo tempo o jogo foi parecido. O Brasil até teve bons momentos, mas com Marta mais cansada, o jogo ficava muito concentrado em jogadas de velocidade e cruzamentos na área. Sem Bia Zaneratto, que cedeu lugar para Ludmilla, as jogadas de velocidade eram as que funcionavam melhor. O Canadá, seguiu defendendo bem e acertou no travessão em uma bola parada com Gilles, a zagueira que defendeu bem e na frente quase abriu o placar.


Nos minutos finais da primeira etapa o jogo foi das zagueiras levando a melhor de lado a lado. Gilles com duas travadas decisivas em Ludmilla e Erika do outro lado marcaram o final do jogo.


E7id8L WQAgqrF

Foto: Sam Robles / CBF


Na prorrogação o Brasil pareceu mais inteiro fisicamente, teve mais a posse de bola porém não conseguiu,
mais uma vez, chegar ao gol e acabou vendo a decisão chegar nas penalidades.


Nelas, Barbará defendeu o primeiro pênalti de Sinclair, porém Andressa Alves e Rafaelle tiveram os pênaltis defendidos pela goleira Labbe e o Brasil acabou eliminado da competição olímpica.


Pênaltis
Sinclair (Canadá) Defendido

Marta (Brasil) Gol
Fleming (Canadá) Gol

Debinha (Brasil) Gol

Lawrence (Canadá) Gol

Érika (Brasil) Gol

Leon (Canadá) Gol

Andressa Alves (Brasil) Defendido

Gilles (Canadá) Gol

Rafaelle (Brasil) Defendido